Stéfany Caldas

Sou graduada em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas, Especialista em Assessoria de Comunicação e Marketing. Desenvolvo trabalho com mídias digitais desde 2014, seja com redação, cobertura fotográfica, produção de vídeos, atendimento ao consumidor e monitoramento de redes sociais.

Cozinha é lugar de criança?

Desde que somos pequenos é comum ouvirmos: Cozinha não é lugar de criança! Mas, será mesmo? Com a companhia e a orientação de um responsável, estar na cozinha pode ser uma verdadeira oficina de aprendizado para as crianças! Primeiro de tudo: não se irrite com a bagunça, entra no espírito da brincadeira e entenda que crianças podem fazer sujeira. E aí, ao escolher uma receita que possua etapas em que elas possam ajudar, vá estimulando que elas observem o cheiro, a textura dos ingredientes, e, assim, compartilhando um pouco da responsabilidade do preparo. Introduzir essa educação alimentar é um grande presente que você dará ao seu filho desde cedo, já que, ao conhecer a diversidade de alimentos, compreender aquilo que é mais saudável para a sua ingestão, além de aprender a ter autonomia para cozinhar e fazer suas próprias escolhas alimentícias quando mais velho farão toda a diferença em sua vida! Ao final do preparo, vocês poderão fazer uma deliciosa refeição juntos!

Brincadeiras com leituras para as crianças

Estimular a criançada a ler não precisa ser algo difícil. Com brincadeiras e dinâmicas, é possível atrair a atenção dos pequenos e garantir ótimos resultados. Para ajudar nessa etapa, listamos 5 atividades para desenvolver a leitura que podem ser colocadas em prática já. Mergulhe nesse universo: 🔸 Rimas e Repetições: Conte com títulos que tenham rimas ou frases repetidas. Leia tudo com calma, mas sem perder o ritmo para que o pequeno perceba essa característica da linguagem. Conforme a fluir, deixe que ela complete as ideias e também interaja com o texto. 🔸 Cartinhas: Escolha uma história que a criança tenha lido dos livros infantis e peça para que se imagine como um dos personagens, que escreverá para outro. Você pode responder como sendo o personagem que ela imaginou. 🔸 Bingo de Sílabas: Enquanto você fala as sílabas, as crianças marcam em suas cartelas, de modo que alguém complete todos os quadros. E aí, é hora de gritar “bingo!” 🔸 Dramatização: Essa é mais um excelente atividade para desenvolver a leitura pois é quase como brincar de teatro. Além de conhecer as palavras, a criança vai perceber as emoções contidas em cada fala. 🔸Roda de leitura: Nessa atividade, a intenção é compartilhar a leitura, observar o foco e a concentração das crianças. A ideia é fazer uma roda com a turminha e conduzir a leitura. Cada um lê um pouquinho, até que a história esteja completa! Ao final, vocês podem conversar sobre o que cada criança entendeu e aprendeu sobre o conto ou o livro que vocês acabaram de ler.

Esporte na escola: benefícios comprovados já na primeira infância

Matéria desenvolvida como Assessoria da Escola SEB Maceió para a Revista R Saúde: “Atividades físicas desenvolvidas na Escola SEB Maceió proporcionam ganhos físicos, mentais e sociais para os estudantes, desde a Educação Infantil” Para as crianças, fonte inesgotável de brincadeiras. Para os professores especializados, correr, pular e se exercitar com os amigos é coisa séria: são formas de combater o sedentarismo na infância, prevenir a obesidade e possibilitar que os estudantes conquistem uma vida saudável.

'Como é que se diz eu te amo?'

Existem, sim, diversas formas de demonstrar amor. E não poder sair livremente para fazer compras parece ter acrescentado um desafio a mais a essa maneira de falar dela para alguém. Eu estava aqui pensando, por tudo o que ouvi, converso e discuto nesse tempo, sobre como a nossa forma de demonstrar amor parece intrínseca ao ato de gastar dinheiro. Um conhecido buscava soluções para fazer algo diferente no dia dos namorados. Sem poder sair com a esposa, dependendo dos correios ou de um número míni

Futebol é música!

Meu estilo de escrita como colabora de atualidades no blog Arribação: De início eu não entendia, mas acreditava que faria bem. Ele passava com seu apito estridente, vários de seus netos, amigos dos netos e vizinhos. O encontro era lá no campo. Eu, ainda criança, procurava eufórica e rapidamente uma roupa que me permitisse realizar movimentos de maneira confortável, calçava um tênis e saía correndo para integrar o elenco. Suava muito pouco, tocava na bola raríssimas vezes quando alguém muito simpático resolvia me mandar, e perdia logo em seguida. Pedia pra sair an

O que você faz para aliviar o stress?

Eu corro. Então você é uma dessas pessoas que anseiam por produtividade? Seria o mesmo que fazer faxina na casa para espairecer. A conversa é dos personagens Mel e Jack, em um dos primeiros episódios da Virgin River, série da Netflix que assisti ainda ao final do ano passado. Sim, antes de começar esse texto quero dizer que eu sou uma dessas pessoas que acreditavam que fazer faxina na casa inteira em um único dia era uma das formas de aliviar o stress acumulado da semana. E quero dizer que eu

Quem cuida das emoções dos meninos?

Fazer algo pela primeira vez tem das suas delícias. A adrenalina, o seu olhar mais aguçado tentando decodificar cada informação instantânea vivenciada, as reflexões que você começa a fazer consigo mesma a partir disso. Domingo teve clássico alagoano e teve minha primeira ida ao Estádio Rei Pelé para ver tudo de pertinho. Dentre as diversas coisas que vivi e senti, uma delas me chamou atenção. Minutos antes de a partida começar, uma filinha de crianças de mãos dadas, liderada por um adulto, cru
Close